Aconselhamento Cristão – Parte 10

Amor próprio.

 

Olá conectados!

 

Como temos visto, o autoconhecimento e o amor próprio são importantíssimos na nossa caminhada. Como cristãos, muitas vezes, ouvimos pregações e sermões que nos fazem crer diferente, mas, ao nos voltarmos para o ensino de Jesus, e à sua prática de vida, vemos que muitas vezes, pessoas confundem o ensino.

Se não tivermos a nossa vontade e a nossa visão alinhados com aquilo que queremos, corremos o risco de nos tornamos reféns dos outros. Perdemos nossa autonomia e comprometemos nossa identidade. O ensino bíblico, principalmente no Antigo Testamento quando Deus ainda estava construindo uma relação com o homem, tentando convencer o homem a estar com Ele e só com Ele, vemos muitas passagens que nos fala de uma dependência total de Deus e que nos faz pensar que não precisamos fazer nada. Todo trabalho é feito por Deus e o nosso trabalho é descansar em Deus ( tem até uma música gospel da Ludmila Feber com esta letra).

Em tudo devemos ter bom senso e não tomar os extremos do pensamento. A dependência de Deus é válida para as coisas que eu não consigo fazer, mas, para aquelas que temos inteligência, dons, capacidades para fazer, isso é nossa tarefa fazer. Deus sendo Deus, dono do mundo, tudo está sob Seu controle, porém, nossa parte é assumir a responsabilidade por nossos atos e por fazer acontecer aquilo que queremos e escolhemos para enriquecer nossa vida.

Sem uma posição firme, não podemos nos responsabilizar por nada e nunca vamos nos satisfazer, pois, tudo é Deus quem faz. Ficamos à espera, indefinidamente? Depois de um tempo, se sentimos frustração, tristeza, carências, vamos cobrar de Deus? Não faz sentido. O que não quer dizer que devemos agir independente daquilo que pensamos ser a vontade de Deus para nossa vida.

Todos nós, para nos sentirmos felizes precisamos buscar aquilo que nos fará felizes. Descobrir quais são os nossos valores, os nossos por quês. Com isso em mãos, e com muita clareza na mente, estabelecemos nossas prioridades. Estaremos motivados, pois, estaremos agindo de acordo com nossa essência. Nossa força de vontade e determinação nos guiará na busca da nossa realização.

De mão das nossas prioridades, estabelecemos objetivos e metas coerentes com os nossos por quês e mãos à obra! Partimos para a realização!

Simples assim. É fácil? Não, mas,  é o caminho possível. Só não consegue, quem não tenta. Quem tenta, erra. Mas, se o medo de errar nos paralisar, não conseguimos nada.

Sobre a autora

Ivany Mamede Lima

Sem Comentários

Deixe seu Comentário